Arquivo para janeiro de 2007

Justiça Itinerante no Rio Preto da Eva





Encerrado o expediente de sexta-feira, (26), pego meu Civic e rumo para o municípío de Rio Preto da Eva, distante 78 km da capital amazonense.Vou até lá para finalizar o trabalho desenvolvido pela justiça itinerante. O ônibus, que serve de “sede”, encontra-se nessa cidade desde a segunda (22), realizando audiências na área cível e de família.

A estrutura da justiça itinerante é enxuta. Trabalha com conciliadores voluntários (estudantes de direito) e apenas um funcionário, além do motorista do ônibus. Nossos serviços são os mesmos oferecidos pelos juizados especiais e mais o plus de causas de família (guarda entre pais, divórcio consensual e alimentos).

Em Manaus, os ônibus ficam estacionados nas duas praças centrais da cidade (Polícia e Matriz) e eventualmente se deslocam para o interior do Estado, o que é raro, porque aqui a malha rodoviária é quase inexistente. Sobre a dificuldade de deslocamento, somente quando a Prefeitura do Município que vai nos receber garante hospedagem e alimentação para a turma é que encaramos a estrada.

Costumo dizer que somos iguais a cachorro vira-lata: trabalhamos por comida e um lugar pra dormir. Mas como tudo é feito com amor, os heróis da resistência não reclamam e de tudo fazem festa. Agradeço ao Nascimento, Conceição, Guilherme, Leila, Yuri, Orlando e Barrela.

Lá no Rio Preto correu tudo bem. Durante a semana, as audiências foram conduzidas pelos conciliadores e naquelas em que se alcançou o consenso, acordos foram lavrados e eu os homologuei quando cheguei, dando a chancela de sentença aos documentos.

Além das homologações, estava programada um casamento coletivo. Na verdade, casais que já tinham tempo razoável de coabitação, estavam convertendo essas uniões informais em casamento. A união estável entre o homem e uma mulher é protegida por nossa Constituição, a qual mandou norma ordinária facilitar sua conversão em casamento, o que ocorreu com a edição da Lei nº 9.278/96.

Eram 10 casais reunidos no prédio da APAE. A cerimônia foi por mim conduzida, contando com a presença do Prefeito do Município.

Encerrado o evento, peguei a estrada de volta.

As fotos são de lá.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a classificar este post)

SURURU NO FORUM HENOCH REIS – PARTE II

O advogado Antonio Carlos Reis mandou-me um e-mail a pouco, rebatendo o teor da notícia também publicada no Blog do Holanda, envolvendo ele e os advogados A. Sahdo e Marcondes Martins. Disse que não conseguiu postar a resposta no blog do jornalista (parece-me que há uma limitação de 04 comentários por notícia, pelo que observei).

Antonio Carlos Reis esclarece que não advoga para o senhor Djalma Castelo Branco e que esse cidadão tentou desapartar os contendores. Também afirma que o “cruzado” que atingiu Abdala Sahdo não foi tão potente assim, a ponto de deixá-lo desmaiado. Abdala Sahdo está querendo posar de vítima, afirmou Antonio Reis.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a classificar este post)

SURURU NO FORUM HENOCH REIS – PARTE I

Forum Henoch Reis, sexta-feira, final de expediente, as notícias começam a chegar no andar em que trabalho: “dois advogados brigaram no 3º andar”; “bateram no Abdala (A. Sahdo, advogado) que ele saiu numa cadeira de rodas”.

O restante das informações vêm pingando… “O advogado Marcondes, que acompanhava ele (A. Sahdo) também apanhou e teve a cara partida com um soco”. Em seguida, identificou-se a outra parte: advogado Antonio Carlos dos Reis, conhecido na intimidade das lides forenses como “Toinho”.

Alguns minutos depois, converso com Antonio Carlos por telefone e ele conta que estava próximo aos dois outros profissionais, quando começou a ser provocado com palavras e gestos (existe uma rixa antiga entre A. Sahdo e Antonio Reis) e não teve dúvidas: encarou os dois e quando começou a ser agredido fisicamente, revidou. Por ser alto (mede cerca de 1,90) e pesar mais de 120 quilos, Antonio Reis levou a melhor, embora estivesse enfrentando dois algozes ao mesmo tempo.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a classificar este post)

Bob Seger

Bob Seger, penso eu, é desconhecido do público brasileiro.

Trata-se de um roqueiro no estilo Bruce Springteen. Tem a voz rascante, agradável de ouvir. Suas composições variam de baladas românticas (mas não açucaradas) a rocks vigorosos, daqueles em que a gente sente vontade de acompanhar a música dedilhando uma guitarra invisível.

Meu primeiro contato com ele aconteceu a muuuiitttoo tempo atrás. Um parente que morava na cidade de Michigan/Detroit (Bob é nascido lá) trouxe-me um lp chamado Against the Wind (ouça trecho da música no site da Amazon.com, 6ª faixa). Bastou ouvi-lo uma única vez para eu me transformar num fã incondicional. Desde então, acompanho sua carreira, adquirindo os cds em catálogo.

Pois bem, passados onze anos desde o último álbum de estúdio, vendendo quase 50 milhões de cópias, Bob Seger lança um novo trabalho. Escute aqui um trecho de “Wait for Me” e forme o seu juízo de valor.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a classificar este post)

Biografia do Zé Dirceu


Os jornais de hoje noticiaram que ladrões furtaram o computador do escritor Fernando de Morais, com os originais da biografia do ex ministro José Dirceu.

Morri de rir quando vi a charge sobre o assunto no site sponholz (é brasileiro, apesar do nome).

Esse turma é muito criativa…

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Seja o primeiro a classificar este post)